CHATOS CORPORATIVOS, LIDERANÇA E COACHING 

É, rotular, seja lá de que forma for, positiva ou negativamente é sempre arriscado, preconceituoso ou no mínimo indelicado.

Como poderíamos definir uma pessoa insuportável, o verdadeiro chato?

Encontramos estereótipos comuns de chato em nosso cotidiano.

Manifestam-se em qualquer espaço ou ambiente; supermercado, lotérica, fila de um banco, padaria, em uma farmácia, na recepção do médico que você aguarda, no trânsito, na sala do cafezinho, no banheiro ou em uma corrida ao ar livre.

É certo que o chato vai aparecer, principalmente se você hoje também estiver chato, pois chato atrai chato.

Chato é um agressor ou uma vítima?

Sei lá, só sei que é chato até pensar nisso.

Uma vez, no Parque do Ibirapuera, sentado no gramado, isolado, concentrado em uma leitura chata, um chato me abordou, querendo saber que chatice eu estava lendo.

O chato está em todos os lugares, e quando não está, ele liga no seu celular, que por sua vez, vai tocar chatamente no cinema ou em outro lugar inapropriado.

Tente conjugar o verbo: Eu sou chato, tu és chato ele é chato. Nós somos chatos, vós sois chatos e ele é chato.


Comprovo doravante, que o chato tem três qualidades únicas: ONIPRESENTE, ONIPOTENTE e ONISCIENTE.

É praticamente o dono do mundo ou filho do dono.

Quando ele não aparecer em nenhum dos lugares acima citados, cuidado, muito cuidado mesmo, pois se você não consegue ver o chato, ele pode ver você. Pior ainda pode estar dentro de você.

É provável que você se acostume ao chato.

Temos uma capacidade chata de aprender a tolerar, relevar, aceitar, perdoar, enfim, conviver com o chato, pois nem todo chato é completamente chato.

Chato do convívio diário, aquele que reconhecidamente incomoda, pode ser um chato patológico, um doente mesmo.

Pode sofrer de instabilidades psicológicas, de humor ou de salário.

Coisas novas, situações novas, que estão se modificando, ou que podem vir a se modificar, desestabilizam o chato.

Outra constatação: nunca desafie um chato. Invariavelmente ele costuma ficar ainda mais chato, e irremediavelmente descontrolado.

Chatos corporativos, do tipo Brucutu, Sabe-Tudo, Kid Tocaia, Frente Fria, Disk Problema e tantos outros, podem ser manifestações voluntárias ou involuntárias de personalidade, diante do novo, diante de algum novo desafio ou circunstância de stress.

Mas espera um pouco, tem coisa mais chata que "zona de conforto".

Cabe ao Líder, à chata competência de identificar o chato, tentar recuperá-lo em nome do seu bom desempenho e de toda a equipe, ou desliga-lo do contexto em nome desta mesma equipe, e deste mesmo bom desempenho. Quer coisa mais chata que tentar recuperar, reposicionar, dar conselhos, por um chato em seu lugar? Desconheço.

Creio que o “rotulado” chato, quando este estereótipo passa a lhe convir, adquire e incorpora esta característica em seu dia a dia, passando assim a ser um traço de sua personalidade a chatice.

Pior de tudo, o reconhecidamente chato, tende a contagiar com sua chatice, outros chatos a sua volta. Chatos latentes, adormecidos, tendem a manifestar  suas chatice tudo de uma vez só, uma avalanche de chatos e chateações pode contagiar todo o ambiente de trabalho, baixando performance e resultados. Mas isso você já está cansado de saber, e é muito chato eu ficar lembrando isso, estou certo? 

Gosto de notar, que um dia ou outro, todos somos um pouco Brucutu, Sabe-Tudo, Kid Tocaia, Frente Fria ou Disk Problema. Recentemente descobri que na psicologia isso pode até ser enquadrado em uma chata patologia, mas não vou entrar muito nesta seara não, que a coisa é muito chata. O nome da patologia não é só chato, é aterrorizante;  Transtornos de Humor ou simplesmente Bipolaridade ( quadro apresenta um humor anormal e persistentemente elevado, expansivo, excessivamente eufórico e alegre, às vezes com períodos de irritação e explosões de raiva, contrastando com um período de normalidade. Pode haver ainda uma autoestima grandiosa, a pessoa sente-se poderosa, capaz de tudo, com necessidade reduzida de dormir, apresentando-se muito falante, às vezes dizendo coisas incompreensíveis, não se fixando a um mesmo assunto ou a uma mesma tarefa a ser feita).

Problema reside, quando estas características, qualquer uma delas, eventualmente mais de uma, assume o nosso controle, passa a ser dominante.

O chato do Aristóteles já dizia;  " á justa medida entre os extremos, a busca pelo equilíbrio, deveria ser uma constante." - Segundo ele, a virtude do equilíbrio, deveria ser praticada no dia-a-dia, para ela ser aperfeiçoada, treinada e regularmente aferida.

Tem coisa mais chata que pessoas equilibradas? Contudo tenho consciência que o equilíbrio deve ser uma meta pessoal a ser alcançada.

Entre a carência e o excesso, encontrar um ponto de equilíbrio, no fundo, é conquistar um lugar “não chato” de viver bem a vida.

Falo assim da vida pessoal ou corporativa, viver com sabedoria, integridade e ética, e nessa busca, o Coaching pode ajudar a todos que assim o desejam.

Certa vez, na biblioteca de casa, encontrei uma preciosidade, o livro chamado Tratado Geral dos Chatos. Acredito que todos deviriam ter este livro em suas estantes ou criado mudo, bem perto da cabeceira da cama, como uma bíblia.

Recomendaria sempre dar uma olhadela e ver se alguma chatice anda por se manifestar em você. Quem sabe aplicar o método chato de "Sleep Learning", colocar o livro por baixo do seu travesseiro e ver o que chatice se absorve dormindo.

Nem sei como este livro veio parar na minha casa, só sei que é muito útil.

Muito provavelmente alguém me deu de presente, pois me identificou com algum dentre tantos chatos que o livro retrata. Nenhum ser pensante, vivente escapa de algum perfil de chato, o livro não deixa ninguém de fora. Se tivesse tido atualizações, novas edições seria um dos mais pesados e volumosos livros da estante, pois os chatos se multiplicam e se reinventam diariamente.

Como reedição é coisa chata, o livro ficou em uma só. Até onde me conste, não foi reeditado.

É difícil aturar o chato diariamente.

Lei da Atração do Universo - Chatos semelhantes se atraem, como todos temo alguma chatice, teremos sempre algum ao nosso lado, e conseguir conviver é o desafio diário de resiliência e resignação.

Chato e não chato costumam conviver e conflitar diariamente. Desafiar as normas de etiqueta de bom senso e do relacionamento interpessoal. Já assisti tantos congressos, palestras e workshop sobre RI, mas não me lembro de ninguém ter falado em "Chatos e suas Chatice", razão de tantos desalinhos no âmbito profissional e pessoal. Será que o chato do preconceito se apresenta neste tópico também ? Provavelmente. 

A final de contas consegue imaginar como seria chata a vida sem conflitos?

Chato e não chato, um é consequência do outro, um vive em função do outro e devem tentar repartir sua chatice.

O chato é aquele que perde qualquer noção do seu ponto de equilíbrio, não lhe interessa o espaço do outro, não lhe interessa um relacionamento interpessoal digno e com respeito, uma convivência social, profissional ou pessoal tranquila e harmoniosa. 

O egoísmo do chato é imperativo. Apenas o seu umbigo interessa.

Mais uma vez, encontro aplicação das ferramentas de Coaching para corrigir toda essa chatice.

Seu par, seu companheiro profissional, seu parceiro de relacionamento, qualquer ambiente diferente do seu “mundico”, simplesmente não existe. Tão pouco qualquer respeito pela   individualidade ou pela espaço alheio.

Chato que incomoda, aquele impossível de se conviver, o pior dos estereótipos, é o chato sem limite. Aquele que respira sozinho todo o ar de um ambiente.

São os chatos extremistas de plantão. Meros fanáticos.

Tendem a continuar sendo chatos se não tratados por Coaching, em consultórios de psicologia e os mais grudentos e afetados, por um psicanalista mesmo, com remédio, pois tem remédio chato para chato.

Tratamento de chato é igualmente chato, por vez ineficiente. Nestes casos, da mais comprovada capacidade de reverter o chato, é melhor economizar recursos, e impor ao chato uma situação igualmente chata; Demissão.  Desligue o chato antes que ele contagie irremediavelmente o ambiente a sua volta, que já era chato, voltado puramente para resultados, que em nada considerava o chato do ser humano.

Chato é um quadro repetitivo, todos reconhecem, inclusive o  próprio chato.

Todos devemos ter algum espelho chato em casa.

Eventualmente caso não tenhamos espelho, ou sequer uma frigideira bem polida, saibamos, que quem compartilha do dia-a-dia com algum chato, cuida de identificar e apontar o quão chato é o chato.

Todos nós temos de tomar cuidado, se não com o vizinho chato, com o chato que habita o nosso ser.

Busque o equilíbrio que tudo se acerta.

Contudo, não viva só para encontrar o equilíbrio, pois isso e chato também.  

Este texto é de responsabilidade do seu autor não refletindo, necessariamente, a opinião do Portal Ferramentas Gerenciais.

Ferramentas Gerenciais - O Portal da Administração na Web - Artigos para consulta nas áreas de Administração Estratégica, Administração Geral, Marketing, Gestão da Qualidade, Estatística, Processos Decisórios, Logística, Meio Ambiente, E-commerce, Gestão com Pessoas, Vendas, Psicologia, Vendas, Negociação, Tecnologia da Informação, Empreendedorismo, comunicação, oratória e muito mais.